Não tem problema ser baleia 🐳

Em 06.02.2017   Arquivado em Textos
Photo by: Thomas Kelley via unsplash.com #pracegover No centro da tela está uma baleia jubarte com cabeça e boa parte do corpo fora da água. Ela se joga de costas na direção direita, com nadadeiras esticadas para a esquerda. O céu está claro e o mar está azul e calmo.

Photo by: Thomas Kelley via unsplash.com
#pracegover No centro da tela está uma baleia jubarte com cabeça e boa parte do corpo fora da água. Ela se joga de costas na direção direita, com nadadeiras esticadas para a esquerda. O céu está claro e o mar está azul e calmo.

Não, você não leu errado, não tem problema nenhum em ser baleia. Assim como não tem problema ser elefante, hipopótamo, rinoceronte, não tem nada de errado em ser grande e forte.

Quando você é uma criança ou adolescente gordo, você costuma escutar de coleguinhas não muito queridos que você é algum desses mamíferos. Você é gordo, já sofre horrores por se sentir diferente das outras pessoas, por ter dificuldade de comprar roupas, ter medo de sentar em cadeiras de plástico, não conseguir sentar direito na poltrona do cinema, ter medo de não conseguir passar na catraca do ônibus, ir ao médico com uma dor no joelho porque adivinha? Você está crescendo! E o médico falar que o problema é o fato de que você é gordo e precisa emagrecer! Como se tudo isso não bastasse, esse peso extra ainda incomoda e causa desconforto nos teus colegas de classe.

Eu não sei ao certo porque isso acontece, provavelmente porque somos bombardeados com notícias e informações que estão o tempo todo dizendo o quanto é errado, feio e doente ser gordo. Mas isso não é verdade! Você pode pesar quantos quilos quiser porque só você tem direito de ser fiscal da tua vida. Você resolveu emagrecer por que achou que seria bom pra você? Isso é ótimo! Você resolveu continuar gorda porque está muito bem assim? Isso também é ótimo! Você é seu guia, só você pode fazer tuas escolhas. Você não tem que se encolher porque a sociedade não consegue compreender e respeitar a existência de pessoas gordas, nós precisamos fazer barulho, e a sociedade vai ter que se adequar.

Eu aposto que você é uma pessoa linda por inteiro, por dentro, por fora, do avesso, e ninguém tem o direito de medir o teu valor por quantos quilos você pesa. Não existe essa de “você tem um rosto lindo, mas se emagrecesse 10kg ficaria perfeita”, você é perfeita como você é, e se alguém falar o contrário pode ter certeza que essa pessoa não merece falar contigo nem com seu anjo. hahaha

Ser magro ou gordo não diminui quem você é. Não existe valor moral, financeiro em ser magro ou gordo, não existe valor nenhum. Nada disso te torna certo ou errado, te torna apenas humano, com características que formam quem você é, assim como ser baixo, alto, loiro, moreno. Você está apenas existindo, e ninguém tem direito de tornar tua existência ainda mais difícil.

É exatamente por esse motivo que eu escolhi ser uma baleia: baleias são mamíferos incríveis, enormes e pesados que chamam atenção por onde passam, que causam medo, espanto, mas também causam encantamento e amor, possuem um canto incrível e são seres maravilhosos. Não existe uma forma de passar despercebida sendo baleia, não existe uma forma de se sentir pequeno e inferior porque você é linda, graciosa e ainda é o maior mamífero do planeta! E é por isso que hoje eu sou uma baleia.

E você? O que gostaria de ser?

Tatuagem e foto por: Luciano Tattoo #pracegover uma tatuagem de baleia jubarte feita em pontilhismo preto e cinza.

Tatuagem e foto por: Luciano Tattoo
#pracegover uma tatuagem de baleia jubarte feita em pontilhismo preto e cinza.

*Por esse motivo tenho uma tatuagem de baleia no braço (foto acima)

**Se alguém também tiver tatuagem de baleia me manda, vou amar receber! ♥

Antes feito do que perfeito

Em 21.07.2016   Arquivado em Pessoal e blá blá blá, Textos
Photo credit: adoephoto via VisualHunt.com / CC BY-NC-ND

Photo credit: adoephoto via VisualHunt.com / CC BY-NC-ND

Olá, pessoas!

Eu já falei milhares de vezes aqui que tenho dificuldade de colocar as coisas em prática, né? Queria aproveitar as férias curtinhas de julho pra fazer umas mudanças no blog (como vocês podem ver, agora o blog chama só Maruja, apesar de eu continuar sendo marota haha), aí comecei a pirar que devia mudar o layout, aí já começou a dar preguiça de mexer em todo o código e no fim eu vi que isso ia se tornar uma gigantesca bola de neve e resolvi continuar com o layout atual mesmo, fazendo só algumas modificações.

Aí esses dias eu li um texto que me deu um estalo: Eu planejo demais e e por isso não faço nada! Isso tem que mudar! Então agora estou tentando deixar de ser louca e adotar a filosofia do “Feito é melhor que perfeito” e ir fazendo as coisas do jeito que dá e que eu consigo. Eu fico meio frustrada com isso? Sim, com certeza, mas acho que a gente tem que começar de algum lugar, né?

É isso. Só queria compartilhar que aos poucos as mudanças vão acontecer. Por enquanto mudei o título, mais tarde o domínio vai mudar também, pra maruja.blog.br, e uma novidade é: de tanto algumas pessoinhas amadas pedirem, resolvi tentar gravar um vídeo o/ Me aguardem…

Perdoa minha falta de talento pra ser blogueira e não desiste de mim <3

Um beijão, e obrigada pela paciência

Os versos de instagram

Em 03.07.2015   Arquivado em Textos

WP_20150526_7156

Vou ser sincero, ser escritor é contar mentiras para fazer com que os outros se sintam melhor. E eu minto para mim também, viu? Repito em minha cabeça meia dúzia de lembranças falsas até que elas se tornem reais. São só um monte de bobagens para nutrir minha esperança e me manter vivo, mas a essa altura da vida eu já não sei mais quais memórias são verdadeiras e quais foram plantadas.

Conheci a Joana na 5ª série. Sei que ela realmente existiu porque tenho uma dessas fotos anuais de colégio onde aparecemos juntos, eu só não sei se ela foi o amor da minha vida ou se foi só uma colega de turma com quem eu mal trocava um oi. Me confundo porque comecei a mentir muito cedo, em parte para passar o tempo imaginando como seria uma vida mais emocionante ou apenas diferente da que eu tinha. O problema é que mentir vicia, é um vício difícil de largar e acabei tornando isso uma profissão.

Sendo tudo real ou não, dor é uma coisa verossímil, né? Tem gente que se identifica e tal… aí eu pego esse monte de mentiras, junto tudo formando uma maior ainda, aumento alguns fatos, acrescento outros detalhes, troco os nomes das pessoas e… voilà! Nasce mais um livro, me autointitulo escritor.

A verdade é que eu escondo a minha frustração escrevendo umas poucas palavras bonitas, mas ao invés disso poderia postar uma foto sorrindo no instagram. Sou meio antiquado.