Customizando sua jaqueta jeans

Em 11.02.2014   Arquivado em Dicas, Tutoriais e DIY

Oi, pessoal!

Sabe aquela jaqueta jeans que você tem há um tempão esquecida no armário? Eu tinha uma assim e resolvi transformá-la em uma jaqueta de manguinha curta, para usar nos dias mais fresquinhos do verão. Já fiz essa customização há uns dias e até agora não tive oportunidade de usar. Esse calor absurdo que tem feito nos últimos dias faz a gente querer andar por aí só com roupas bem levinhas mesmo, né?

Mas então vamos ver como fazer?

1) Caso você queira tirar comprimento do corpo da jaqueta, desmanche a costura da barra. Minha jaqueta já tinha o corpo curtinho, mas tive que desmanchar a barra mesmo assim porque nas costas da jaqueta existia um bolso (!!!??) que eu detestava, haha. Nunca entendi porque alguém faz um bolso (de verdade, que dá para colocar coisas) nas costas!?

2) Corte a manga e o corpo do tamanho que quiser. No caso da manga, deixe um espaço de mais ou menos 3 dedos depois do comprimento desejado para fazer a bainha depois. Eu indicaria vestir a jaqueta, se olhar em um espelho e colocar alfinetes na altura que você achar a ideal antes de cortar, para não correr o risco de cortar demais.

3) Depois, escolha uma linha da cor das costuras da jaqueta, recosture a barra do corpo da jaqueta no lugar e faça a bainha nas mangas.

 
Depois ela ficou como ali em cima, mas nas costas ainda estavam as marcas de onde havia o bolso antes. Aí o que eu fiz foi o seguinte: joguei num balde com água e cloro/água sanitária. 
Não tenho fotos dessa parte porque a jaqueta ficou manchada meio sem querer :( Minha intenção inicial era que a jaquetinha ficasse toda clara, mas como eu coloquei ela em um balde onde ela ficou toda amontoada, acabou ficando bem parecida com a “versão final” dela. A diferença é que antes estava com um contraste maior entre as partes mais claras e mais escuras. Depois a jaqueta só foi colocada na máquina de lavar pra ser lavada com água sanitária para que as manchas ficassem com menos contraste, deixei secar e em seguida lavei de novo para que o cloro saísse completamente.

É isso. Espero que tenham gostado!

Qualquer dúvida é só perguntar nos comentários :)

Retrospectiva dos meus Cabelos Coloridos

Em 05.02.2014   Arquivado em Cabelos, Pessoal e blá blá blá

Já mudei de cabelo várias vezes e queria compartilhar com vocês :) Quem sabe assim, quem tem medo de mexer nas madeixas cria coragem e se junta ao time dos cabelos coloridos, né?

Bom, até 2006, eu tinha o cabelo bem comprido, aí acabei cansando e entre o final de 2006 e começo de 2007 cortei mais curtinho. Foi em 2007 também que eu resolvi pintar os cabelos pela primeira vez. Tive a nuca vermelha por um tempo e depois o cabelo inteiro.

Depois, em 2008, cansei da manutenção do vermelho e voltei para o castanho. Fiquei até quase final de 2009 deixando o cabelo crescer mas, como sempre, acabei perdendo a paciencia e cortando curtinho e repicado.

Foi em 2010 que eu comecei a brincar com tintas fantasia. Tinha a nuca roxa e depois cortei o cabelo bem curtinho de novo e passei a usar mechas nas laterais. A última foto de 2010 é de quanto eu tentei cortar o cabelo sozinha com navalha, mas acabei estragando a franja. Já 2011 foi o ano em que eu mais troquei de cor. Também comecei a pintar uns fiapos por baixo da franja.

Em 2012 eu voltei com o roxo por um tempo, depois quis platinar as mechas e passei bastante trabalho. Meu cabelo ficou elástico, tive que cuidar pra caramba e quando eu finalmente cheguei no tom que queria resolvi voltar a ser morena. Me arrependo até hoje, porque o platinado foi uma das cores que eu mais gostei, apesar de ter ficado só um mês com o cabelo dessa cor. Passei 7 meses com a cor natural e depois fiz mechas laterais alaranjadas.

Por fim, 2013 foi o ano em que eu voltei pro roxo, definitivamente. Deixei o cabelo crescer um tempo, tive o cabelo de três cores (o castanho natural com mechas em lilás nas laterais e a nuca roxa), depois cortei super curtinho e aproveitei as mechas loiras por um tempo e no fim do ano tomei coragem pra pintar o cabelo todo de roxo. Como vocês podem ver, a única cor que nunca pintei foi verde, mas também não pretendo por enquanto haha Acho que minha cor é o roxo mesmo, não tem jeito.

Espero que tenham gostado!
Alguém aí já passou por muitas mudanças capilares também?

Sobre meu amor por maquiagem artística

554355_218577358242952_139507206_n
Um tempo atrás eu tive vontade de ser maquiadora, mas não maquiadora social e sim artística. Com o tempo acabei desencanando dessa ideia, mas acho que meu amor por maquiagem ainda permanece, por isso achei que seria legal compartilhar essas experiências com vocês.

Tudo começou no carnaval de 2012. Eu sempre adorei esse negócio de me fantasiar e queria fazer algo diferente para ir para o Bloco dos Sujos, que é um “evento” que acontece em Florianópolis e sempre ocupa o centro (quase inteiro) da cidade no sábado de carnaval. Fiquei muito tempo pensando até que decidi ir de “La Santa Muerte”: véu, buquê, flores no cabelo e, claro, o rosto todo enfeitado. Assim, comecei com os testes de maquiagem e a procura pela roupa:

primeiro teste

Primeiro teste de maquiagem, que fiz só com coisas que tinha em casa

O primeiro teste foi só com materiais que eu tinha em casa. Sombra, lápis, delineador… só pra ter uma noção de quanto tempo levaria, se eu seria capaz de fazer os traços e essas coisas. Nessa época eu ainda cursava jornalismo, então meu traço de desenho andava bem enferrujado, fazia anos que não desenhava nada. Achei que não daria conta de fazer a maquiagem e que ficaria tudo torto, mas acabei me surpreendendo. Não sabia que tinha capacidade de fazer algo tão trabalhoso.

No último teste de maquiagem eu já tinha comprado a Clown MakeUp, da Catharine Hill, que é um produto profissional (e caro rs) à prova d’água, que usei como base branca. Antes da Clown eu testei um pancake baratinho também, mas ele não deu o resultado que eu gostaria e também achei complicado aplicar as sombras por cima dele, já que o pancake fica seco. Como a Clown é cremosa e precisa de um pó pra ter, efetivamente, um efeito à prova d’água, acabei  usando talco de bebê. A Catharine Hill tem um pó translúcido específico pra essa finalidade, mas é tão caro quando a Clown e eu não tinha grana pra tudo hahaha Depois que vi que o talco funcionada, compactei ele pra facilitar a aplicação. E pra ser sincera, não sou de comprar coisas muito caras, tanto que primeiro fiz um teste com o pancake mais baratinho que encontrei hehe Mas no fim a Clown valeu muito a pena mesmo sendo mais cara, porque rende muito! Hoje tenho a branca e a preta, elas não estão nem na metade e eu vez ou outra uso a preta como delineador e a branca como base pra sombras.
último teste

último teste para La Muerte antes do carnaval

Fui para o carnaval toda montada com um sutiã vermelho, espartilho preto e saia de renda vermelha. Foi desse jeito também que fui para uma festa em uma balada onde quem estivesse com melhor fantasia ganharia um ano de entrada gratuita. Não tenho fotos decentes deste figurino porque eu estava sem câmera na época e a balada não tinha fotógrafo no dia (WTF? nunca entendi isso haha). A única foto que tenho desse look foi tirada por um amigo, com o celular, depois que ganhei o tal prêmio:

perdoem a qualidade ruim da imagem, é a única que tenho rs :(

A partir daí eu não lembro direito como aconteceu, mas à medida que as pessoas viam minhas maquiagens eu ia me empolgando e querendo fazer mais e melhor. Fui me aprimorando, aumentando a quantidade de detalhes e passando ainda mais tempo em frente ao espelho. Fotos das minhas caveiras começaram a pipocar em páginas “alternativas” do Facebook, algumas baladas me chamaram pra ir maquiada em troca da entrada + consumo em bebida e essas coisas. Além disso, também fiz um ensaio fotográfico (foto no topo do post) e apresentei um desfile da Kakau Corset, marca de uma amiga que confecciona corsets e roupas alternativas sob medida.
Sempre levei tudo como uma brincadeira e nunca tive vontade de ficar “famosa” ou ganhar dinheiro com isso. Acho que o mais legal desse período foi aprender a me importar muito mais com o que eu quero pra mim e muito menos com o que os outras pessoas pensam. Peguei ônibus toda montada várias vezes, e eu meio que virava um ~evento~ porque todo mundo olhava, ria, queria tirar foto comigo e etc. Foi uma época muito divertida.
Aí estão algumas fotos desse período:

caveirs

Depois fiz maquiagens com outros temas e com o tempo fui desistindo da ideia de ser maquiadora. Eu queria trabalhar com maquiagem pela brincadeira, pela vontade de inventar coisas novas, mas no fim acabei cansando um pouco.

Hoje em dia quando me bate a saudade de fazer algo mirabolante eu me encontro com minha amiga Mayana, que é maquiadora profissional, e sempre saem coisas bem interessantes.

Essas últimas fotinhos são da minha pseudo-Monster High e das minhas parcerias com a May eu encerro o post.

etc É isso. Alguém gosta de maquiagem artística, ou já pensou em ser maquiadora também?

Começando do começo

Em 15.07.2013   Arquivado em Pessoal e blá blá blá
Pensei em várias formas de começar este blog. Queria um tema super maroto, fiquei várias semanas pensando, mas, no fim, resolvi começar do começo e contar o que vim fazer aqui.
Gosto de escrever e gosto de aprender coisas novas. Gosto de inventar coisas e “inventar moda”. Por isso que, no meu primeiro vestibular, minhas opções foram jornalismo na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Moda na Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina) e um curso técnico em moda e estilismo no IFSC (Instituto Federal de Santa Catarina) de Jaraguá do Sul, quando o IFSC ainda era CEFET-SC.
Depois de uma rotina alucinada de aula + trabalho + cursinho, passando mais de 17h por dia fora de casa…
*Pausa pra trilha sonora da época de cursinho*
… acabei não passando em Moda da Udesc, mas passei nos outros dois cursos. Como o curso do IFSC era em outra cidade e o da UFSC era muito mais concorrido, resolvi fazer jornalismo. Cursei 3 anos, larguei o curso no final de 2012, prestei vestibular de novo e começo a cursar Design na UFSC em agosto de 2013. (aeeeee!)
Mas aí você me pergunta: o que isso tudo tem a ver com o blog? Acho que nada, ou tudo, mas é só pra vocês conhecerem um pouquinho de mim mesmo, apesar de eu já ter falado alguma coisa ali no Sobre o blog :)
O intuito deste blog é falar de várias coisas, compartilhar tudo que fui aprendendo durante meus 22 aninhos :}
Vou falar de moda, mas num sentido mais “alternativo”, por assim dizer. Vou falar de jornalismo, design e de feminismo também. Quero tentar ensinar vocês a fazer costurinhas, customizações, pinturas, maquiagens e tudo mais. E espero aprender muito com isso aqui também 😀
Página 4 de 41234