Categoria "Pessoal e blá blá blá"

Adivinha quem chegou

Em 23.11.2016   Arquivado em Looks, Pessoal e blá blá blá, Textos
(Primeiro lookinho no blog)

(Primeiro lookinho no blog)

Oi, gente!

Eu sou a nova colaboradora e coautora do maruja! Meu nome é Rebecca, sou do Distrito Federal, tenho ~quase~ 22 anos (dezembro já ta aí). Sou estudante de comunicação social e, em um passado não tão distante assim, fui estudante de psicologia. Já tive o cabelo de todas as cores do arco-íris, mas hoje prefiro cuidar pra ele crescer e ficar fortinho. Entre outros aspectos que espero falar em postagens futuras, tenho alguns piercings, alargador e 14 tatuagens.

Costumo ler de Dostoievski a Meg Cabot, mas o que eu gosto mesmo é de distopias: 1984, Admirável mundo novo, jogos vorazes… sem preconceitos, clássicos e modernos possuem um lugar especial na minha prateleira e é por esse motivo que uma das minhas colaborações pro blog serão resenhas de livros. Vou me esforçar pra não dar spoiler e dar notinhas de acordo com o que achei dos livros.

Gosto de desenhar, pintar, costurar, customizar e quando meu tempo permite estou sempre inventando projetos e ideias mirabolantes que passam pela minha cabecinha de vento. Espero colaborar com ideias de DIY para vocês.

Também gosto de moda e acredito que deveria ser acessível para todos que se interessam por ela. Sou plus size e, por isso, estou sempre em busca de adaptações e lojinhas acessíveis que produzam roupas para mulheres grandes como eu, pretendo postar meus looks do dia pelo menos uma vez por semana também!

Por último, sou feminista, militante body positive e sempre que houver oportunidade quero escrever sobre. Espero que vocês curtam minha participação e espero estar trazendo novidades e conteúdos que interessem vocês.

Caso vocês queiram falar comigo, entrem em contato através da pagina do blog ou pela minha pagina pessoal do facebook.

 

Você não precisa disso

Em 01.11.2016   Arquivado em Pessoal e blá blá blá, Textos
Photo by Averie Woodard/Unsplash.com #pracegover Uma mulher branca aparece parcialmente submersa em uma água branca que se parece com leite, apenas com a cabeça e o ombro esquerdo fora d'água. Ela veste uma blusa de tom claro, com dois tons de azul, e olha para a câmera com expressão contemplativa. Ela é loira, olhos azuis e tem glitter na metade esquerda do rosto.

Photo by Averie Woodard/Unsplash.com
#pracegover Uma mulher branca aparece parcialmente submersa em um líquido branco que se parece com leite, apenas com a cabeça e o ombro esquerdo para fora. Ela veste uma camiseta manga longa de cor clara, com dois tons de azul. Ela olha para a câmera com expressão contemplativa. É loira, olhos azuis e tem glitter na metade esquerda do rosto.

 

A gente não precisa mesmo disso.

Nem de maquiagem.

Nem desses cremes redutores de celulites e estrias.

Nem do maiô pra esconder a barriga na praia.

Nem fingir que não gosta de praia porque o que sente é vergonha das estrias espalhadas pelo corpo.

Nem ter crises de alergia e dor causadas pela depilação. Pêlos não são nojentos, eles fazem parte do nosso corpo. É algo natural.

Também não precisa correr em busca de um corpo perfeito pro verão porque o corpo que temos já é ótimo!

A gente não precisa de rímel, batom e blush pra tirar uma foto ou sair de casa.

Não precisa ficar com “carinha de saúde” deixando a bochecha rosada artificialmente.

Nem fazer a sobrancelha pra “desenhar o rosto”.

Sim, tem quem goste de tudo isso. Eu gosto muito de maquiagem, inclusive.

E ok, eu acredito que o “gostar” também é algo construído socialmente, mas isso é assunto pra outro post.

A questão é: não precisamos dessas coisas todas pra ser quem somos.

Repete comigo: a gente não precisa disso.

Eu não me sinto mais culpada por não ter paciência de usar maquiagem todos os dias, nem me sinto mal quando tiro uma selfie e a foto evidencia as minha olheiras de final de semestre, ou que meu rosto tem espinhas.

Você é maravilhosa exatamente do jeito que é! E eu não estou falando “linda”, porque o que eu estou querendo dizer é, justamente, que o padrão de beleza não importa. O “ser linda” é muito relativo, e também muito menos importante agora, porque, acredita em mim: VOCÊ É MARAVILHOSA! E forte! E só por conseguir se aceitar todo dia um pouquinho mais, você é incrível! Ou mesmo se não conseguir se aceitar ainda… tudo bem, você tá tentando.

Porque não é fácil viver numa sociedade gordofóbica, machista, racista, homo/transfóbica e elitista. É difícil e dolorido demais aceitar e entender que não precisamos de um monte de coisas quando a sociedade diz o contrário. É complicado aprender que não precisamos ser magras com a pele sem imperfeições e rosto simétrico, quando aprendemos durante toda a vida que bonito mesmo é ser loirinha de cabelo liso e olho claro, pele bronzeada mas ainda branca, cinturinha fina e manequim 36. Dói e é difícil pra caramba desconstruir esses padrões, mas também é libertador. Porque a verdade é que, pra esse mundo cheio de preconceitos e ideais inalcançáveis, nunca seremos boas o suficiente.

É por isso que eu digo: Migas, vocês são FANTÁSTICAS! Formidáveis, magníficas, notáveis, sensacionais e extraordinárias sendo assim, singulares. Ser mulher nessa sociedade que a gente vive já é revolucionário por si só. Vocês são incríveis.

Eu não sou o meu cabelo

Em 15.08.2016   Arquivado em Cabelos, Pessoal e blá blá blá, Textos

cabelinho

Eu não sou o meu cabelo.
Apesar dele dizer muito sobre quem eu sou, eu não sou só o meu cabelo.

Meu cabelo lilás poderia dizer muito sobre a minha cor preferida, ou sobre como eu aprendi a abstrair completamente dos olhares das pessoas na rua. Diariamente ele me forçava a me importar menos com o que pensavam de mim, porque todos os dias uma pessoa desconhecida dispararia em minha direção um olhar de julgamento.

Meu cabelo curto pode dizer muito a respeito do meu completo desapego dos fios que crescem na minha cabeça, e ele diariamente me faz tentar desconstruir padrões de gênero ou pressões estéticas: “cabelo assim curtinho é cabelo de menina?”. É. Cabelo de menina é como ela quiser. Roupa de menina é o que ela quiser usar. Corpo perfeito é exatamente o corpo que você tem agora: aquele que cumpre perfeitamente a função de ser a sua casa enquanto seu coração estiver batendo. E também não tem problema nenhum se você quiser decorar a sua casa da forma que achar melhor.

Julgamentos precipitados ou preconceituosos acontecem o tempo todo com qualquer coisa que fuja do que é considerado “socialmente aceitável”. Tatuagens, cortes de cabelo diferentes, roupas que fogem do padrão, alargadores e piercings… Eles dizem muito a respeito do que você é, do que gosta, mas eles por si sós não te definem.

Porque desisti do cabelo colorido? Acho que foi um misto de desapego e cansaço… Lógico, um cabelo colorido gera gastos, exige cuidados e uma rotina que a longo prazo pode se tornar bastante cansativa, então por muito tempo eu pensei que esse tinha sido o único motivo que me fez voltar ao cabelo natural, mas não. Eu percebi que a principal razão foi um processo de desapego que tem se manifestado aos poucos.

A nossa essência raramente muda. Usamos de artifícios para externalizar o que sentimos e demonstrar o que somos ou queremos ser, mas se você tirar toda a maquiagem, cor ou comprimento de cabelo, roupas descoladas, tatuagens, piercings, as coisas materiais que você possui, o que sobra? Você. Só você. Você continua sendo você, não importando o que carrega no corpo ou no bolso.

Se um dia eu vou voltar a dar cor aos meus cabelinhos? Sim, provavelmente, mas agora eu acho que estou num processo de me aceitar com menos artifícios e mais essência descomplicada.

Acho que a vida, em geral, é bem simples… a gente é que complica.

“Seja menos curioso sobre as pessoas e mais curioso sobre as ideias.” (Marie Curie)

Antes feito do que perfeito

Em 21.07.2016   Arquivado em Pessoal e blá blá blá, Textos
Photo credit: adoephoto via VisualHunt.com / CC BY-NC-ND

Photo credit: adoephoto via VisualHunt.com / CC BY-NC-ND

Olá, pessoas!

Eu já falei milhares de vezes aqui que tenho dificuldade de colocar as coisas em prática, né? Queria aproveitar as férias curtinhas de julho pra fazer umas mudanças no blog (como vocês podem ver, agora o blog chama só Maruja, apesar de eu continuar sendo marota haha), aí comecei a pirar que devia mudar o layout, aí já começou a dar preguiça de mexer em todo o código e no fim eu vi que isso ia se tornar uma gigantesca bola de neve e resolvi continuar com o layout atual mesmo, fazendo só algumas modificações.

Aí esses dias eu li um texto que me deu um estalo: Eu planejo demais e e por isso não faço nada! Isso tem que mudar! Então agora estou tentando deixar de ser louca e adotar a filosofia do “Feito é melhor que perfeito” e ir fazendo as coisas do jeito que dá e que eu consigo. Eu fico meio frustrada com isso? Sim, com certeza, mas acho que a gente tem que começar de algum lugar, né?

É isso. Só queria compartilhar que aos poucos as mudanças vão acontecer. Por enquanto mudei o título, mais tarde o domínio vai mudar também, pra maruja.blog.br, e uma novidade é: de tanto algumas pessoinhas amadas pedirem, resolvi tentar gravar um vídeo o/ Me aguardem…

Perdoa minha falta de talento pra ser blogueira e não desiste de mim <3

Um beijão, e obrigada pela paciência

Cérebro de Pipoca: vida de daltônico

Em 26.01.2016   Arquivado em Cérebro de Pipoca, Dicas, Pessoal e blá blá blá, Youtube

OIE, GENTE LINDA!

Aqui estou eu, tomando vergonha nessa minha carinha, e reaparecendo depois de meses sem postar. Eu não sei o que acontece comigo, tenho probleminhas com frequência de postagem, mas quero que vocês saibam QUE ESSE ANO VAI SER DIFERENTE. Ano passado eu defini várias metas, consegui cumprir boa parte delas, mas acabei falhando miseravelmente na principal, que era postar com mais frequência.

Bom, 2016 aqui no blog está começando com quase um mês de atraso, mas antes tarde do que nunca, não é mesmo?

Eu e menino Marccelo resolvemos voltar com nosso queridinho Cérebro de Pipoca, pretendemos postar vídeos com mais frequência (porque uma vez a cada 3 meses não rola, né?) e o tema da vez foi: Daltonismo. Nesse vídeo serelepe tem: eu sendo perdida como sempre, tem as peripécias de alguém que não enxerga cores quentes, tem as tia confundindo “daltônico” com “satânico” e por aí vai HIAUHAUAI

Espero que vocês gostem <3

beijoca

semana que vem eu tô de volta <3

“Pare de se sabotar”, disse o passado

Em 20.10.2015   Arquivado em Pessoal e blá blá blá, Textos
Tem duas coisas que eu nunca devia ter parado na minha vida: dança do ventre e artes marciais.
Achei a única foto que tenho da época em que fazia karatê e fiquei pensando que, se eu não tivesse parado, hoje provavelmente seria faixa preta e estaria completando 8 anos de luta. Oito anos. 
No meu exame de faixa, quando passei da faixa branca para a amarela ^^

No meu exame de faixa, quando passei da faixa branca para a amarela ^^

E a dança? Bom, não tenho nenhuma foto daquela época, mas acredito que já saberia dançar decentemente porque em 5 anos daria para aprender a fazer o “8” com o quadril bem de boa haha
Eu ficava esperando ter dinheiro, depois esperava ter tempo, mas no fim a gente nunca tem os dois e, mesmo quando tem, arranja qualquer desculpa para continuar adiando mesmo assim. Acho que acreditamos pouco em nós mesmos na maior parte do tempo.
Eu não sei vocês, mas eu me saboto o tempo inteiro: para desenhar, para pintar, para voltar a fazer artes marciais, dançar, escrever para esse blog. Eu nunca sou boa o bastante, sempre acho que não mereço investir em mim mesma porque “ah, deixa pra lá… nunca vou evoluir muito mesmo. sou um fracasso”. E isso é ruim, faz mal. Aturo-sabotagem nos impede de crescer.
Hoje eu me dei conta que se eu tive coragem de abrir mão de um curso de jornalismo quase o fim para seguir o que acreditava, tinha que parar de sentir pena de mim mesma. Hoje eu escrevi um email para a Ketryn do futuro e daqui cinco anos ele vai aparecer na minha caixa de entrada para que eu não esqueça do que percebi hoje:
“Eu não como você está e por onde anda, e o máximo que eu posso tentar prever é que talvez já você esteja formada e com a coleção de garrafas de cerveja um pouco maior. É estranho, mas eu queria te pedir só uma coisa: Nunca duvide que você é capaz de qualquer coisa que quiser, tá? É sério! Acredita em ti. Se parou de desenhar ou pintar, volta! Se tem vontade de correr uma maratona, se prepara pra isso e vai! Só não deixa a vida passar sem você fazer as coisas que tem vontade. Não tentar dói mais do que fracassar na tentativa. Seja menos cruel consigo mesma e não deixa bad vibe tomar conta. As coisas na vida real nunca são tão ruins quanto na tua cabeça e eu sei que tu sabes disso. Ah! E o mais importante: Seja a adulta que daria orgulho à criança que você foi um dia.”
be what you want to be
Em tempo: Se você quiser que o seu eu do futuro se lembre de alguma coisa também, pode usar o futureme.org para mandar um email, como eu fiz^^
Não costumo fazer posts tão pessoais, mas enfim… que conselho o seu eu do passado daria para seu eu do futuro? Me conteeem!
Beijo

Sobre minha obcessão por fotos de pés

Em 10.09.2015   Arquivado em Dicas, Fotografando, Pessoal e blá blá blá

Título estranho? Tema esquisito? Pois é, mas você não leu errado! haha Eu gosto mesmo de fotos de pés e chão… HIAUHAIUAH

Como boa aprendiz de designer, sou apaixonada por patterns, e é por isso que até pouco tempo atrás eu achava que essa mania de fotografar o chão tinha surgido na minha vida junto com o curso de design, mas não. Fuçando meu HD encontrei algumas fotos antigas dos meus pés em lugares aleatórios, que eu tirava quando era mais nova, ou seja, eu sempre tive mania de reparar onde piso e fotografar.

 Dá uma olhada nas fotinhos! Elas estão organizadas das mais antigas para as mais recentes:
Nao_pise_na_grama_by_ketrynAs_folhas_secas_do_jardim_by_ketrynIMG_0025
579572_550649361631381_1469363293_n
SAM_0499

Esquentando os pezinhos depois de fazer uma cavalgada em sensação térmica negativa, Urubici/SC

IMG_20140817_162232
IMG_1916
IMG_20141115_182657

InstagramCapture_b72a76bc-e52f-4aeb-9378-f46251e85722

InstagramCapture_1dc69379-1813-46fb-a7ad-1f13d6653a9e

Em um dos prédio históricos do centro de Floripa.

InstagramCapture_bfa46231-6f65-4064-8859-c9c3c0bfe1f7

Algum lugar entre a Praça D. José Gaspar e a Augusta, SP.

InstagramCapture_e23c080e-1002-4099-9317-58cb3fa75e31

Museu da Língua Portuguesa, SP.

WP_20150131_11_01_06_Pro

Museu da Língua Portuguesa, SP

WP_20150716_5569

Meu Vilela Boots no quarto da minha irmã rs

InstagramCapture_a24c329a-1cfd-4644-9454-d041c22207ab

meu quarto <3

WP_20150831_13_39_41_Pro__highres

Cascata do Garapiá, Maquiné/SC

Também já faz um tempo que eu venho descobrindo projetos super legais de fotografias nesse estilo e notando alguns amigos tirando fotos de seus próprios pés. Isso é massa porque eu não me sinto tão louca haha vejo que existem mais pessoas como eu.
Além disso, acabei encontrando no instagram vários perfis incríveis para quem tem a mesma mania que eu.

Entre tantos, tenho três preferidos que gostaria de compartilhar com vocês. Você pode clicar na imagem para se redirecionar automaticamente para os perfis, tá?

perfil_instagram.com_ihavethisthingwithfloors

o  @ihavethisthingwithfloors

perfil_instagram.com_amazingfloorsandwanderingfeet

o @amazingfloorsandwanderingfeet

perfil_instagram.com_fromwhereistand

e o @fromwhereistand

E aí? Gostaram? Vocês também tem essa mania de tirar fotos dos pés?
Me contem nos comentários!

Beijão
Ketryn

Look do dia: Kakau Corset na Expo Tattoo Floripa

Oie! Tudo bem?

Quem me acompanha no instagram deve ter notado que eu andei postando uma maquiagem de caveira e algumas fotos com corset. Pois bem, o motivo é que eu fui convidada para apresentar o desfile da Kakau Corset na Expo Tattoo Floripa. O evento, que já está na sua segunda edição, aconteceu em Florianópolis entre os dias 14 e 16 de agosto, e o desfile foi no sábado, dia 15.

Em um post sobre maquiagem artística eu cheguei a comentar que já tinha apresentado ou participado de outros desfiles e ensaios fotográficos da Kakau Corset, sempre toda trabalhada nas maquiagens “caveirísticas” haha

Não consegui tirar fotos super detalhadas do Look, mas compartilho com vocês as fotinhos que consegui. Com excessão da foto da maquiagem que postei no instagram, todas as fotos deste post pertencem à Kakau Corset. Obrigada Karina (Kakau) e Rodrigo, que gentilmente me cederam as fotos tiradas no dia do desfile.

Look_expotattoo

uma caveirinha feliz

maquiagem_exportattoo_1

Eu estava me sentindo a diva das galáxias, sério! haha

Essa gargantilha fofinha é DIY mesmo, então se alguém tiver interesse eu posso postar um tutorial dela aqui no blog mais tarde. A saia é antiga e provavelmente da Havan iauhaui o corturno é um Vilela Boots e o corset lindo e maravilhoso é da Kakau Corset, obviamente. Já a blusa é uma sobreposição de uma segunda pele “de verdade” preta e de uma segunda pele de meia calça que fiz seguindo o tutorial da Sandila. Esse tutorial é maravilhoso! #todasamaadivasandila <3

Agora falando da maquiagem especificamente, o que eu usei foi: Base matte da QDB, Pó compacto da Vult, corretivo amarelo em creme da Audrei Cassatti, corretivo em bastão da Avon, Clown Makeup da Catharine Hill, nas cores preto e branco, base para sombras caseira (ainda vou postar tutorial dela aqui porque é maravilhosa), sombras de uma paleta de 120 cores da Manly (nas cores preto, branco, cinza e marrom opacos e também roxo e lilás metálicos), um delineador em gel caseiro (na verdade é uma mistura de dois restinhos de lápis de olho que eu tinha com um pouco da clown preta e dois pingos de glicerina), lápis de olho branco da Tracta, asa de borboleta lilás da Yes Cosmetics, glitter preto da Audrei Casatti,  rímel Colossal da Maybeline, cílios postiços da First Kiss, cola pra cílios da QDB, E O SAPATILHA, ESSE BATOM MARAVILHOSO DA DAILLUS PRO <3 uffa! Acho que é isso.

Acabei não tirando fotos mais detalhadas da maquiagem “normal” porque sou bocó mesmo haha Eu tentei muito gravar um vídeo estilo “se arrume comigo” mostrando como fiz essa maquiagem, mas como eu não tenho câmera e teria que usar o celular, não deu muito certo. Fiz umas gambiarras gigantes de grudar um monopod, vulgo “pau-de-selfie”, atrás do meu monitor com um monte de fita adesiva, e colocar o monitor em cima de um monte de livros empilhados, mas não adiantou. Eu não desisti de gravar vídeos, mas tive que adiar esse plano por enquanto. hehe

 

Agora algumas fotinhos da minha apresentação no desfile e dos bastidores.

11864997_673752446058772_7606112572183929890_o

Uma caveira Paty HAIHAI

11903773_671375842963099_1829795045658018171_n

Ketryn sendo Ketryn

E claro, não poderia faltar uma foto com todas as pessoas queridas que fizeram parte desse desfile, né? <3

PS: Eu juro que eu estava feliz!! HIAUHAIU fiz palhaçada o tempo inteiro, mas chegou na hora da foto eu tentei ficar séria e saí com cara de #chatiada. HAHA Acontece :(

modelos lindas <3

Agora com a Kakau <3

A Kakau Corset é uma loja que produz corsets sob medida para Tight Lacing, mas também faz customizações e confecciona roupas alternativas em geral (inclusive para crianças), acessórios e alguns artigos para casa. É ou não é muito amor?

Todos os corsets são confeccionados com barbatanas de aço ortopédico e outros materiais de altíssima qualidade. A Karina faz tudo com muito amor e os acabamentos são impecáveis! Eu tenho dois corsets dupla-face da marca (um underbust tradicional e um underbust Waist-cincher) há anos e posso afirmar que vale a pena o investimento se o que você procura são peças personalizadas e com durabilidade.

Quem tiver interesse em conhecer um pouco mais do trabalho da Karina Rateke pode acessar a loja online da Kakau Corset, ou entrar em contato através da página no facebook.

Por último, eu gostaria de enfatizar que isso não é um publieditorial. Eu não ganhei absolutamente nada para falar da Kakau Corset aqui. Eu sou amiga da Karina, mas também sou cliente há muito tempo, e não indicaria a Kakau Corset se não confiasse completamente no trabalho dela <3

É isso. O que acharam? Me contem nos comentários!

Beijoca

Ketryn

Compilado de Looks #1

Oie! Tudo bem?

Visto que meu primeiro look do dia fez, digamos, “sucesso”, e considerando a minha falta de tempo pra fazer produções muito elaboradas para esse tipo de post, pretendo postar compilados como este de vez em quando. A ideia surgiu vendo um post no Mostre as Pernas, um antigo (e agora inexistente) blog da Julia Pacheco.

Pretendo postar looks que uso no dia-a-dia e em ocasiões especiais, mas que acabam não rendendo um look mais produzido pela falta de tempo. Serão fotos de espelho mesmo, algumas são da época que eu ainda tinha cabelo castanho e foram tiradas com meu celular antigo, então já peço desculpas antecipadamente pela qualidade meio zoada de algumas fotos.

Vai ter montagem tosca também porque #émeujeitinho, mas espero que vocês gostem mesmo assim! haha Tentei dar uma disfarçada nas bagunças do quarto mas nem sempre as coisas são como a gente quer, né? HIUAHAUIHAI Tá! Agora deu de bobice! Vamos ao que interessa.

Festa à Fantasia

Deixei esse look bem forever alone aqui porque é o único look de fantasia que fiz na correria. Normalmente eu me empolgo horrores em festa à fantasia e planejo com semanas e até MESES de antecedência (sim, sou louca) o que vou usar. Nesse caso, fomos convidados para uma festa de final de ano da empresa em que meu namorado trabalhava, e só fiquei sabendo que era à fantasia meio de última hora, então fiz a fantasia com coisas que tinha em casa. Queria uma coisa meio Catrina, então fiz um penteado com trancinhas embutidas, peguei umas flores de plástico pra colocar no cabelo e para a roupa usei uma saia longa colorida, corset underbust, camiseta baby look básica e um cachecol. A maquiagem foi feita só na metade do rosto porque não ia dar tempo de fazer em tudo mesmo HIUAHAI

Shows

Show tequila e apanhador

shows df, duca e offspringSó algumas considerações sobre dois desses looks:
Quando tirei a foto antes do show do Duca Leindecker eu estava de bota de montaria, mas depois larguei mão e coloquei meu coturninho preto velho de guerra porque com a bota de montaria sentia como se estivesse indo para a baia do Anakin (meu namorado tem um cavalo, que se chama Anakin). Juro, não consigo mais usar bota de montaria sem ser para montar haha
Na foto do look do show do Dead Fish eu estou com uma cara de derrota, e depois apareço toda trabalhada do glamour de maquiagem porque: eu estava em final de semestre e ia sair de manhã de casa (a foto do look foi de manhã cedo), ia para a faculdade, ficaria no trabalho até tarde e só ia voltar para casa depois do show. No fim do dia eu estava com uma cara de cansaço tão grande que fiz uma maquiagem lá no trabalho mesmo para parecer mais serelepe, mas como sou uma pessoa genial, eu esqueci de tirar o fone do pescoço quando fui tirar foto da maquiagem iahauihai

Formaturasformaturas

Bom, por hoje é isso. Tenho mais vários looks como esses, mas o resto fica para um próximo post. 😀

Me contem o que acharam nos comentários! É sempre bom ter um feedback das coisas que fazemos com carinho.

Beijoca

Ketryn

Dandara, Padme e o fim de semestre

Oie! Como estão as coisas aí?

Eu, finalmente, estou de férias! Estou de folga, tanto no trabalho quanto na faculdade! Fazia muito tempo que eu não tinha o prazer de ficar de bobeira no sofá vendo qualquer coisa na TV sem me sentir culpada haha

Agora que a euforia dos primeiros dias de folga passou, posso voltar meu foco para tornar esses dias mais produtivos. Comecei a me programar para tentar manter um ritmo razoável de postagens aqui quando a correria voltar, preciso organizar meu portfolio para procurar um novo trabalho (já que o projeto em que eu trabalhava acabou), ainda tenho que comprar uma placa de vídeo para o meu PC novo, botar algumas leituras em dia, estudar um pouco mais de desenho e modelagem 3D, enfim… várias metas.

Eu vivo dizendo que estou na correria por causa da faculdade, reclamando de não conseguir postar muito aqui, então achei justo compartilhar com vocês os resultados desse semestre porque eles, realmente, me deixaram muito feliz. Evoluí demais no quesito pintura digital, fiz um curta de animação 2D (que ainda precisa de ajustes, mas enfim… estou bem feliz com ele).

Algumas pessoas já sabem, mas eu curso Design na UFSC, com foco em animação. Ou, como explico para a maioria das crianças que conheço: “estou estudando para fazer desenho animado e filme de animação quando crescer”.

Por que “Design com foco em animação” e não “Design de animação”, Ketryn?

Porque o meu curso é de Design, mas eu faço projetos de animação, ou seja: a grade curricular não é exclusivamente voltada para animação. Vez ou outra eu até uso o termo “design de animação” para me facilitar a vida, mas oficialmente essa habilitação não existe na UFSC. O currículo do meu curso é bem louco e se alguém tiver interesse eu posso fazer um post (ou vídeo, não sei) falando especificamente disso, mas resumindo: todos os alunos precisam fazer um número X de disciplinas obrigatórias e quatro projetos (no mínimo), onde cada projeto é um “combo” de quatro disciplinas que devem ser cursadas juntas. O curso oferece projetos das áreas de design de produto, gráfico, animação, moda, interiores, etc, então, nesse sentido, poderíamos dizer  que você “escolhe o que quer estudar”.

Nesse semestre, cursei a disciplina obrigatória de Ilustração Digital e o projeto 18, de “Animação 2D Avançada”. Isso quer dizer que eu estava cursando cinco disciplinas de quatro créditos e trabalhando 30h semanais… mas sobrevivi e é isso que importa.

O resultado final do projeto de animação foi esse aqui, a Dandara.

Fiz essa animação em conjunto com a Carol e o Isaías, que estudam comigo, obviamente. A Carol ficou responsável pelo desenvolvimento da Dandara e do lêmure (sim, é um lêmure e não um gatinho rs), o Isaías pelos cenários e eu pela trilha sonora e a animação. Poderia ter ficado melhor? Sim, com certeza! Ainda vou ajustar várias coisas na animação mas estamos esperando o feedback dos professores.

Sobre a disciplina de ilustração, um dos resultados foi essa pintura digital da Rainha Padme Amidala… adivinha de qual filme ela é personagem? Isso mesmo, Star Wars! haha Ela está em andamento porque, para a avaliação, eu só precisava entregar cabelos e rosto, mas pretendo terminá-la.

Digital_painting_Padme_byKetrynAlves

Quem tiver interesse pode acompanhar o processo de execução dessa ilustração clicando na imagem

Eu fiquei muito surpresa com o resultado dessa ilustração, porque minha evolução foi gigantesca se comparada com outras ilustrações que eu tinha feito anteriormente, como essa aqui, executada apenas três meses antes dessa da Padme:

ilustra_gazeta do povo

Simone Beauvoir, Lelia Gonzalez e Frida Kahlo. Ilustração para o jornal Gazeta do Povo do dia 8 de março de 2015. Para mais detalhes, clique na imagem.

Bom, acho que é isso! O que vocês acharam? Tem interesse em ver mais posts com meus trabalhos?
Beijão!

Ketryn

Página 1 de 212