“Pare de se sabotar”, disse o passado

Em 20.10.2015   Arquivado em Pessoal e blá blá blá, Textos
Tem duas coisas que eu nunca devia ter parado na minha vida: dança do ventre e artes marciais.
Achei a única foto que tenho da época em que fazia karatê e fiquei pensando que, se eu não tivesse parado, hoje provavelmente seria faixa preta e estaria completando 8 anos de luta. Oito anos. 
No meu exame de faixa, quando passei da faixa branca para a amarela ^^

No meu exame de faixa, quando passei da faixa branca para a amarela ^^

E a dança? Bom, não tenho nenhuma foto daquela época, mas acredito que já saberia dançar decentemente porque em 5 anos daria para aprender a fazer o “8” com o quadril bem de boa haha
Eu ficava esperando ter dinheiro, depois esperava ter tempo, mas no fim a gente nunca tem os dois e, mesmo quando tem, arranja qualquer desculpa para continuar adiando mesmo assim. Acho que acreditamos pouco em nós mesmos na maior parte do tempo.
Eu não sei vocês, mas eu me saboto o tempo inteiro: para desenhar, para pintar, para voltar a fazer artes marciais, dançar, escrever para esse blog. Eu nunca sou boa o bastante, sempre acho que não mereço investir em mim mesma porque “ah, deixa pra lá… nunca vou evoluir muito mesmo. sou um fracasso”. E isso é ruim, faz mal. Aturo-sabotagem nos impede de crescer.
Hoje eu me dei conta que se eu tive coragem de abrir mão de um curso de jornalismo quase o fim para seguir o que acreditava, tinha que parar de sentir pena de mim mesma. Hoje eu escrevi um email para a Ketryn do futuro e daqui cinco anos ele vai aparecer na minha caixa de entrada para que eu não esqueça do que percebi hoje:
“Eu não como você está e por onde anda, e o máximo que eu posso tentar prever é que talvez já você esteja formada e com a coleção de garrafas de cerveja um pouco maior. É estranho, mas eu queria te pedir só uma coisa: Nunca duvide que você é capaz de qualquer coisa que quiser, tá? É sério! Acredita em ti. Se parou de desenhar ou pintar, volta! Se tem vontade de correr uma maratona, se prepara pra isso e vai! Só não deixa a vida passar sem você fazer as coisas que tem vontade. Não tentar dói mais do que fracassar na tentativa. Seja menos cruel consigo mesma e não deixa bad vibe tomar conta. As coisas na vida real nunca são tão ruins quanto na tua cabeça e eu sei que tu sabes disso. Ah! E o mais importante: Seja a adulta que daria orgulho à criança que você foi um dia.”
be what you want to be
Em tempo: Se você quiser que o seu eu do futuro se lembre de alguma coisa também, pode usar o futureme.org para mandar um email, como eu fiz^^
Não costumo fazer posts tão pessoais, mas enfim… que conselho o seu eu do passado daria para seu eu do futuro? Me conteeem!
Beijo
  • Asphyxia

    Em 20.10.2015

    É besteira ficar remoendo isso… porque como você mesma disse: quando enfim tem tempo e dinheiro e ainda arruma desculpa, é porque não gosta de fazer aquilo e ponto final. Muitas dessas cobranças vem do que pensamos que vão pensar da gente (pelo menos no meu caso). “Nossa, ela luta há 8 anos.” Mas na sua cabeça, lá no fundinho “Há 8 anos fazendo algo que não curto muito”. Então, bola pra frente, o que importa é o seu aprendizado. Basta encontrar realmente algo que goste de fazer de verdade que passará a fazer pela sensação, não por essa linha de chegada que nunca tem fim, e parece que a sociedade ainda enfia isso ainda mais na nossa cabeça. Eu tenho lidado bastante com isso também, então, falo com experiência. xD

    E mais, se for isso mesmo que você gosta, volte!
    Nunca é tarde, cada um tem sua história de vida.
    Beijos linda! <3
    4sphyxi4.blogspot.com.br

    Responder

  • Ketryn Alves

    outubro 22nd, 2015

    Na verdade eu gosto (e muito) de artes marciais… mas ficava adiando não porque não gostava, e sim pela auto-sabotagem. O sentimento de “eu nem devia começar, não sou boa mesmo…”. Aos pouquinhos to conseguindo ser menos critica comigo, e aceitando que a gente erra muito antes de acertar… e depois de 8 anos enrolando, comecei o Kung Fu <3
    Obrigada, gatona!
    Beijão <3

    Responder

  • Asphyxia

    outubro 31st, 2015

    Ah entendi, nesse caso, ainda há bastante tempo de reparar isso! <3

    Responder

  • Loretta Vergen

    Em 20.10.2015

    Vixe, sou mestra em me auto sabotar, me identifiquei com o texto demais. Sei bem como é se sentir assim. Aprendi que tudo o que acontece tem um motivo, mesmo que seja uma coisa que não estava nos seus planos. Voltar ao passado não dá, mas claramente você pode mudar um pouco do rumo do futuro, mas não se cobrando tanto pelas escolhas que fez, sei que é difícil mais o que importa é que você aprende com suas escolhas sendo elas “erradas” ou “certas”. E nunca é tarde pra voltar a fazer alguma coisa que você deixou de fazer, como no seu caso a dança ou a luta. Se for o que quer. FAÇA! A vida é feita de momentos, uma coisa que tu gosta hoje, tu pode não gostar amanhã e etc. Dou somente um conselho: viva e faça o que quiser e o mais importante seja VOCÊ! :*

    Responder

  • Ketryn Alves

    outubro 22nd, 2015

    Aos pouco eu tenho aprendido a me cobrar menos e tentar a levar tudo com mais leveza. E depois de me dar conta do tanto de tempo que tenho adiado voltar pras artes marciais, comecei o Kung Fu <3 haha
    Agora bola pra frente!
    Obrigada pelo comentário, Loretta <3
    beijão

    Responder

  • Isabella de Paiva

    Em 20.10.2015

    Primeiramente a senhorita é uma mentirosa, essa foto não tem você; Tá todo mundo com cabelinhos normais. (não eu realmente não te reconheço sem esse cabelo roxo maravili) hsuehsuhesueh
    enfim, eu te entendo. Eu me saboto muito também, nos estudos principalmente. Fico tipo ‘se eu fizer só isso tiro 7 e passo’ sendoq ue tenho a oportunidade de saber mais entende? A unica coisa que não me deixo sabotar é o circo, porque enfim, tem sido uma válvula de escape, mas olha, é difícil conciliar.
    Acho que é por isso que não posto mais no blog, aliás hehehehe
    Um beijo,
    Isabella
    The Urban Trends

    Responder

  • Ketryn Alves

    outubro 26th, 2015

    sou a mocinha faixa branca com cara de derrota no canto superior direito HIUAHAUIA
    Acho que aos poucos a gente vai aprendendo a parar de se sabotar ne? Comecei o Kung Fu e pretendo não parar mais também. A gente precisa de uma válvula de escape pra não pirar haha
    beijo, gatona!
    E vê se posta maaaais! <3

    Responder